40 assaltos nos ônibus da Expresso Metropolitano; Conheça as linhas mais assaltadas

Motoristas, cobradores e passageiros estão inseguros com as situações de violência que acontecem com frequência nos ônibus da empresa Expresso Metropolitano.

Cerca de 14 assaltos acontecem por mês nos coletivos que prestam serviços a população de Simões Filho, a maioria deles em trechos de Salvador. Este ano, já foram registrados 40 assaltos nos coletivos da Empresa Expresso Metropolitano. Segundo a secretaria, no momento do assalto, os ladrões visam principalmente dinheiro, relógios e celulares.

Trechos mais perigosos

De acordo com um levantamento da empresa Expresso Metropolitano, os assaltos acontecem com mais frequência nos trechos entre a Brasilgas/BR-324 até o Retiro e entre a passarela de São Cristovão, em frente ao Salvador Norte Shopping até o Parque das Bromélias. 

Linhas mais Assaltadas

As linhas que mais registram assaltos são Simões Filho x Terminal da França, Simões Filho x Itapuã; Ilha de São João x Pituba; Ilha de São João x Campo Grande.

Há registros de assaltos em coletivos que fazem a linha Simões Filho x Orla, e Simões Filho x Lapa/Barra, porem, com uma frequência menor.

Ainda segundo a empresa, em um dos assaltos, o motorista foi obrigado a retornar do Retiro para a Brasilgás, sob ameaças dos assaltantes levando diversas coronhadas na cabeça.

Situações como essas deixam os motoristas e cobradores preocupados. O medo atinge também os usuários. O pedreiro Ailton já presenciou um assalto em ônibus. “Eu fiquei bastante preocupado, alem do risco de vida, o que conquistamos com tanto suor é levado em um minuto. Toda vez que estou em um coletivo fico apreensivo”, desabafou.

Mês de Abril

Até o fechamento desta matéria, 10 assaltos já foram registrados em ônibus da empresa Expresso metropolitano em abril/2015. Conforme informações da Secretária de Segurança Publica da Bahia.

Segurança

Muitos coletivos possuem diversas câmeras de segurança espalhadas pelos ônibus, apesar disso, não inibe a ação dos assaltantes.

A Expresso Metropolitano informou que todos os casos são registrados no Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerc) em Salvador e contribui com as investigações cedendo às imagens das câmeras de segurança instaladas nos coletivos.

A Polícia

De acordo com informações da delegacia especializada a roubos em coletivos, 80% das imagens pedidas pela polícia de assaltantes em ação não são entregues pelas empresas de transporte. Do material que chega à delegacia, metade é de má qualidade e não ajuda a identificar os suspeitos.

Para o diretor do sindicato dos rodoviários, Daniel Mota, a mesma tecnologia de smartphones, deveria ser utilizada na segurança pública.  “é fundamental, não só para os trabalhadores, mas também para os passageiros”, disse .

De acordo com Edemilson Francisco, capitão da Polícia Militar e subcomandante da Operação Gêmeos, a polícia observou que, na maior parte dos casos, os suspeitos de roubar ônibus moram na mesma região onde praticaram o assalto e que a PM dispõe de informações detalhadas sobre os pontos onde acontece os roubos de coletivo.

Em salvador

O medo é o mesmo nas linhas municipais de Salvador.  A capital baiana tem uma média de 140 assaltos a ônibus em 2015, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). Este ano, já foram registrados 562 roubos, uma média de 4 assaltos por dia. Na segunda-feira (20), um homem suspeito de assaltar passageiros no interior de um ônibus foi preso na capital ao tentar escapar pelo mar.

De acordo com um levantamento da SSP, as localidades onde ocorrem assaltos a ônibus com mais frequência na capital baiana são as Avenidas Bonocô, Paralela e Suburbana. Em 2014, as regiões onde mais ocorreram assaltos a ônibus foram Tancredo Neves (274), Brotas (157) e Itapuã (142).

Nota Original Publicada em 23 de abril de 2015 às 12:57

Veja mais