Bahia registra oito casos da dupla contaminação por Covid-19 e gripe conhecida como Flurona

Bahia registra oito casos da dupla contaminação por Covid-19 e gripe conhecida como Flurona
Bahia registra oito casos da dupla contaminação por Covid-19 e gripe conhecida como Flurona

Bahia registra oito casos da dupla contaminação por Covid-19 e gripe conhecida como Flurona

Nesta segunda-feira (04), o Laboratório Central de Saúde da Pública (Lacen) confirmou oito casos de pacientes com gripe e Covid-19 conhecido como Flurona na Bahia. A dupla infecção foi registrada em pacientes de Salvador, Feira de Santana e Camaçari.

Segundo informações da Sesab, são cinco pacientes homens e três mulheres, com idades ente 13 e 91 anos. Não há óbitos registrados.

As cidade de Senhor do Bonfim e Jaguarari, que ficam no norte da Bahia, também anunciaram três casos. Porém, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) não confirma pacientes nesses municípios.

De acordo com o G1, a Prefeitura de Senhor do Bonfim, informou que o caso registrado na cidade trata-se de uma a paciente de 35 anos, que está com sintomas leves, tomou as duas doses da vacina CoronaVac. A mulher se recupera em casa e é monitorada pela Secretaria de Saúde do município.

Já em Jaguararipe a Vigilância Epidemiológica do município, comunicou que o primeiro caso foi confirmado na segunda-feira (3) por meio de exame laboratorial particular. O paciente é um homem de 47 anos, que trabalha em uma empresa particular, e foi encaminhado para o Hospital Memorial, em Petrolina.

A segunda paciente é uma mulher de 22 anos. Ela se recupera em casa e é monitorada pelo órgão.

As duas infecções podem ser inicialmente confundidas por causa da semelhança dos sintomas. Por conta disso, a Sesab recomenda que as pessoas se previnam com o uso de máscaras e que procurem unidades de saúde caso apresentem sintomas de co-infecção.

Flurona

Trata-se da infecção simultânea por covid-19 e gripe. O nome vem da junção da palavra “flu” (que significa “gripe” em inglês) com parte de “coronavírus”.

Os sintomas da “flurona”, se comparados aos da covid-19 ou da Influenza isoladamente, são bem semelhantes entre si e o diagnóstico é feito através de painel viral.

“Observa-se febre, dor no corpo, inapetência, tosse, dor nas articulações, nos músculos e de garganta. Em casos mais graves, pode haver falta de ar e a necessidade de internação, eventualmente até em UTI (Unidade de Terapia Intensiva)”, explica Estêvão Urbano, infectologista e diretor da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia).

Aqui no Brasil, os estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Ceará já confirmaram casos de flurona. No Rio, como o paciente – um jovem de 16 anos – estava vacinado, os sintomas foram leves. Em Santa Catarina, o governo investiga 10 casos suspeitos.

Como se prevenir contra a “flurona”

As recomendações para a prevenção são as mesmas quando se fala em covid-19 ou em gripe: usar máscara de proteção facial, evitar ambientes fechados e aglomerações. Além disso, a imunização, tanto contra o coronavírus como contra a Influenza, se mostra mais que necessária.

“A vacina contra a gripe protege contra várias cepas. Não se sabe exatamente o nível de resposta no caso da H3N2, que é a gripe mais usual nessa crise que estamos vivendo, mas possivelmente ela confere pelo menos uma proteção parcial, e as pessoas não vacinadas deveriam se vacinar. Na vacina que será distribuída a partir de março já deverá haver cobertura para essa variante Darwin do H3N2. assim, acredito que essa campanha será fundamental para a prevenção na atual epidemia”, diz Urbano.

O que diz o Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde não informou quantos casos de “flurona” já foram registrados no Brasil. A pasta disse, contudo, que os dados de Influenza e outros vírus respiratórios são monitorados via vigilância sentinela, onde, por amostragem semanal, são feitos diagnóstico para Influenza e alguns outros vírus respiratórios, além da vigilância da SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e covid-19.

>>Simões Filho retoma a vacinação contra a Covid-19; confira os locais