Bolsonaro recebe alta e faz declaração polêmica sobre mortes por Covid

Bolsonaro recebe alta e faz declaração polêmica sobre mortes por Covid
Bolsonaro recebe alta e faz declaração polêmica sobre mortes por Covid

Bolsonaro recebe alta e faz declaração polêmica sobre mortes por Covid

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu alta médica na manhã deste domingo, 18. Bolsonaro deixou o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, às 11h, e retorna ainda hoje à Brasília.

Como sistema digestivo do presidente está funcionando regularmente, de acordo com a equipe médica, a alta foi possível.

“Ele vai retomar a rotina de trabalho com calma”, conforme informado pelo cirurgião Antônio Luiz Macedo.

Por volta das 9h, um comboio de carros já passava por uma entrada alternativa do hospital à espera do presidente.

No sábado, 17, Antônio Macedo informou Bolsonaro “está ótimo” e que terá que seguir uma dieta regrada e rotina de exercícios para evitar novos quadros de obstrução intestinal.

>>Nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial hoje (19)

Histórico

Na quarta-feira 14, Bolsonaro deu entrada pela manhã no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, com uma crise persistente de soluço e mal-estar. Exames indicaram um quadro de obstrução intestinal. Por decisão do cirurgião Antonio Luiz Macedo, responsável pelas cirurgias no abdômen do presidente, Bolsonaro foi transferido para São Paulo.

Bolsonaro já despachou com ministros por videoconferência e, na manhã de sábado, ele postou vídeo em que aparece caminhando no corredor do hospital.

Declaração Polêmica sobre mortes por Covid-19

Ao deixar o hospital Vila Nova Star, em São Paulo, Bolsonaro mais uma vez deu declarações polêmicas sobre mortes por Covid-19 no  Brasil e disse que o “pânico promovido” por causa da Covid-19, tem agravado a doença em boa parte da população.

Ele frisou que a comorbidade, de acordo com um estudo no qual teve acesso, que mais mata pacientes graves com a covid é a obesidade. O mandatário se referiu ainda aos governadores e prefeitos que decretaram medidas restritivas nos estados e municípios do Brasil.

“Tiraram o emprego de milhões de pessoas. Tiraram o direito de ir até nas igrejas, onde pessoas procuram refúgio espiritual. Quem vai dizer que isso não agrava a doença? Qual o médico que vai dizer que não? O protocolo ‘Mandetta’ era fique em casa e só venha ao hospital quando sentir falta de ar”, lembrou.

O presidente voltou a atacar a imprensa ao dizer que os jornalistas divulgam “inverdades”. “Vocês da imprensa costumam divulgar aquilo que não fizemos. Mais uma vez divulgam o contrário do que a presidência faz de útil para o país”, reiterou.

>>Bolsa Família: confira quem recebe a 4ª parcela do auxílio hoje (19)

*Com informaçoes do Jornal Atarde

Veja mais