Brasil recebe lote com 2 milhões de doses de vacina doadas pelos Estados Unidos

Brasil recebe lote com 2 milhões de doses de vacina doadas pelos Estados Unidos
Brasil recebe lote com 2 milhões de doses de vacina doadas pelos Estados Unidos

Brasil recebe lote com 2 milhões de doses de vacina doadas pelos Estados Unidos

O primeiro avião com vacinas contra a covid-19 da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson no Brasil, pousou no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), na manhã desta sexta-feira (25). As doses foram doadas pelos Estados Unidos e recepcionadas pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman. Serão 3 milhões de doses em dois voos, sendo que o de hoje contém pouco mais de 2 milhões.

A outra remessa, com mais 942 mil doses, chegará neste sábado (26), segundo o governo brasileiro.

Em seu discurso, Queiroga agradeceu ao presidente Joe Biden pelo “ato de generosidade para com o povo do Brasil”, elogiou  o SUS e destacou os números da campanha de vacinação durante a pandemia.

>>Feirão da Casa Própria inicia nesta sexta com 186 mil imóveis

“Essa é a primeira doação que recebemos. O Programa Nacional de Imunização é um patrimônio de todos os brasileiros. Através de 38 mil salas de vacinação, o SUS tem condições de imunizar até 2,4 milhões brasileiros por dia. O Brasil já distribuiu mais de 120 milhões doses de vacina e 40% da população acima de 18 anos já recebeu a primeira dose de vacina”, disse o ministro da Saúde.

“Esses 3 milhões de doses representam um esforço extraordinário para a vacinação do Brasil e simboliza a grande amizade que existe entre nossos povos. Duas grandes nações e um mesmo objetivo: acabar com o caráter pandêmico da covid-19, que tanta infelicidade tem trazido para os nossos povos”, complementou.

>>Bahia fecha feriado de São João com 80% de ocupação dos leitos de UTI

Queiroga afirmou ainda que o governo brasileiro tem trabalhado em uma agenda ampla na área da saúde, como a telemedicina, que tem sido útil no acesso dos brasileiros ao SUS. “Mas também na saúde suplementar, pois o medicare americano pode muito bem ser exemplo para o nosso sistema de saúde na busca de modelos novos de remuneração que possam tornar sustentáveis o sistema de saúde dos EUA e do Brasil.”

O ministro citou ainda a Todd Chapmann que o governo brasileiro tem como foco e determinação o reforço nas relações bilaterais com os Estados Unidos. “Prova inequívoca disso foi a liberação do visto para os cidadãos americanos entrarem aqui no nosso país. E tudo isso se materializa na nossa forte relação através dessa atuação de vacinas”, finalizou.

>>Dólar cai para R$ 4,90 e fecha no menor valor em mais de um ano

Veja mais