Butanvac: Instituto Butantan anuncia vacina 100% brasileira contra a Covid-19

Butanvac: Instituto Butantan anuncia vacina 100% brasileira contra a Covid-19
Butanvac: Instituto Butantan anuncia vacina 100% brasileira contra a Covid-19

Butanvac: Instituto Butantan anuncia vacina 100% brasileira contra a Covid-19

O governo de São Paulo e o Instituto Butantan anunciaram, nesta sexta-feira (26/3), a Butanvac, uma vacina desenvolvida 100% por cientistas do instituto. “Vacina do Brasil é fruto do trabalho da luta e da perseverança”, disse o governador João Doria.

O imunizante foi desenvolvido pelo instituto, que lidera um consórcio internacional do qual ele é o principal produtor – 85% da capacidade total de fornecimento da vacina, se tudo ocorrer como previsto, sairá do órgão do governo paulista.

>>Por causa da pandemia, Nissan e Toyota suspendem atividades no Brasil

O pedido de autorização se refere às fases 1 e 2 de testes do imunizante, nas quais serão avaliadas segurança e capacidade de promover resposta imune em 1,8 mil voluntários. Na fase 3, até 9 mil pessoas irão participar – etapa que vai estipular a eficácia da nova fórmula.

“Protocolaremos esse material ainda hoje e vamos dialogar intensamente com a Anvisa para que ela perceba a importância da autorização do início desses estudos clínicos o mais rapidamente possível, para que possamos em um mês e meio, dois meses e meio, terminar essa fase de avaliação clinica e iniciar a produção”, disse Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

>>Internado com Covid19, Neco Almeida recebe mensagens de carinho e tem melhora

A Butanvac já passou pelos testes pré-clínicos, nos quais são avaliados em animais efeitos positivos e toxicidade. O imunizante também será testado nos dois outros países participantes do consórcio, Vietnã e Tailândia – neste último, a fase 1 já começou.

Ainda segundo o diretor Dimas Covas, o imunizante começou a ser desenvolvido em março de 2020. Para a produção da Butanvac, o instituto deverá usar tecnologia já disponível em sua fábrica de vacinas contra a gripe, a partir do cultivo de cepas em ovos de galinha, que gera doses de vacinas inativadas, feitas com fragmentos de vírus mortos.

>>Microempreendedores terão pagamento do Simples Nacional adiado por 3 meses

“Essa vacina será integralmente produzida aqui, nós não dependeremos de nenhum insumo, da importação de nenhum insumo, é uma tecnologia que já existe. Essa tecnologia é a mesma que é usada para a produção da vacina da gripe”, disse.

Segundo as primeiras informações, o Objetivo é ter 40 milhões de doses prontas até o fim de 2021 para distribuição nacional. A expectativa é de que a Anvisa autorize o início dos testes em abril e, já em julho, o Brasil tenha uma vacina 100% nacional pronta para ser aplicada em todo o país.

O desenvolvimento da Butanvac não deve mudar o cronovrama de fabricação da Coronavac, hoje envasada pelo Butanta, mas com insumos vindos da China.

Fonte: Correio Braziliense

Veja mais