Google lança YouTube Shorts para competir com TikTok e Instagram

Google lança YouTube Shorts para competir com TikTok e Instagram
Google lança YouTube Shorts para competir com TikTok e Instagram. Foto: Divulgação

Google lança YouTube Shorts para competir com TikTok e Instagram

De olho na concorrência, o Google acaba de lançar oficialmente no Brasil o YouTube Shorts, plataforma de vídeos curtos criado para competir com o TikTok e o Reels do Instagram.

Deste esta segunda (7), 25% dos usuários no Brasil começaram a ter acesso ao serviço, previsto para atingir a totalidade da base em até duas semanas.

>>Banco Central lança sistema para devolução de valores no Pix

O serviço entrou em versão beta na Índia em setembro do ano passado, chegando aos Estados Unidos em março deste ano. Desde então, já ultrapassou a marca de 6,5 bilhões de visualizações diárias no mundo todo.

“O lançamento do Shorts é uma evolução fundamental para o YouTube, seguindo um movimento cultural em direção à criação e consumo de vídeos curtos”, explica Patrícia Muratori, diretora do YouTube Brasil.

>>Empresas de energia eólica vão investir quase R$ 1 bilhão na Bahia

Assim como acontece com os Reels no Instagram, os Shorts contam com um destino específico dentro do YouTube –como se fosse uma aba específica. O diferencial em relação aos rivais é a possibilidade de usar os áudios dos bilhões de vídeos disponíveis na plataforma. Além disso, o YouTube também fez acordos com várias gravadoras e produtoras para garantir aos seus usuários uma biblioteca de sons e faixas musicais.

A previsão é de que mais recursos sejam introduzidos nos próximos meses, como novas ferramentas de criação e experiências de reprodução e opções de monetização.

>>Multinacional abre 528 vagas de empregos na Bahia e mais 10 estados

Vale lembrar que o Reels, do Instagram, já foi uma ofensiva de Mark Zuckerberg ao avanço do TikTok, que desde a pandemia se tornou uma febre em diversos países no mundo, como Brasil e EUA, e entrou para o seleto clube das redes sociais com mais de 1 bilhão de usuários.

Veja mais