Por que ativar a criptografia de ponta a ponta no Facebook Messenger?

Por que ativar a criptografia de ponta a ponta no Facebook Messenger?
Por que ativar a criptografia de ponta a ponta no Facebook Messenger? – Foto: Reprodução

Por que ativar a criptografia de ponta a ponta no Facebook Messenger? Meta, o nome agora dado à empresa do Facebook, atrasou mais uma vez a instalação da criptografia de ponta a ponta por padrão no Messenger, seu canal de comunicação.

Essa criptografia de ponta a ponta ou ponto a ponto é um mecanismo de segurança em virtude do qual nem a própria plataforma pode acessar o conteúdo das mensagens enviadas por seus usuários. O Facebook definitivamente instalou criptografia de ponta a ponta nos bate-papos e chamadas do Messenger.

>>WhatsApp: como mover a seção ‘Arquivado’ para aparecer abaixo?

Apesar do atraso, o Meta continua avançando nessa linha. Em um post no blog oficial do Facebook Messenger, foi anunciado que todos os usuários agora têm a opção de ativar essa criptografia, que até agora era restrita a determinados grupos. Ele também permite que os usuários sejam notificados quando alguém fizer uma captura de tela de sua conversa.

Em 2016, o Messenger introduziu a opção de habilitar a criptografia de ponta a ponta em seus bate-papos. Quatro anos depois, a empresa fundiu os canais de mensagens das redes sociais Facebook e Instagram, que até então eram separados, em um único aplicativo que mantinha a mesma possibilidade.

Pouco tempo depois, ele habilitou essa criptografia para chamadas do Messenger e videochamadas, mas até agora apenas um pequeno grupo de usuários tinha acesso a isso.

>>Como ouvir um áudio do WhatsApp antes de enviar na conversa?

Mas o passo definitivo nessa adoção da criptografia de ponta a ponta, sua ativação por padrão, está mais uma vez atrasado. A Meta garantiu no início de 2021 que a criptografia de ponta a ponta por padrão estaria disponível no início de 2022. No entanto, a empresa agora reconhece que não será possível instalá-la com garantias totais até pelo menos 2023.

O motivo desse atraso é a suspeita dos governos, que temem que esse sistema de criptografia possa representar um risco à segurança. Já em 2019 os governos do Reino Unido, Estados Unidos e Austrália pressionaram a empresa a suspender essa criptografia. Os três países argumentaram que uma forma de acesso às comunicações era necessária para facilitar a luta contra o terrorismo e a pedofilia.