Serasa muda análise de crédito e eleva pontuação de brasileiros

Serasa muda análise de crédito e eleva pontuação de brasileiros
Serasa muda análise de crédito e eleva pontuação de brasileiros

Serasa muda análise de crédito e eleva pontuação de brasileiros

O consumidor brasileiro que paga suas contas em dia verá seu score – pontuação de crédito – subir nos próximos dias.

A Serasa lançou nesta quarta-feira (26) o Score 2.0, uma atualização da sua plataforma de análise de crédito, que muda a metodologia de cálculo do indicador e passa a avaliar todos os hábitos do consumidor e não apenas suas dívidas.

>>Suspensão do transporte intermunicipal vai ocorrer três dias antes e depois do São João, diz Rui

Matheus Moura, gerente de marketing da Serasa, diz que antes a análise de crédito focava muito o hábito negativo do consumidor. Se ele estava com restrições em seu nome por não pagar uma dívida, por exemplo.

“A partir de agora nosso banco de dados trará informações mais amplas sobre os hábitos de consumo dele. Será avaliado quais contas ele vem pagando por mês, se já teve o nome negativado, quanto tempo demorou para pagar a dívida, entre outras coisas”, diz Moura.

O score de crédito nada mais é do que uma ferramenta usada por instituições financeiras na hora de decidir aprovação de crédito. A pontuação vai de zero a 1 mil.

>>Mega-Sena sorteia prêmio acumulado de R$ 80 milhões nesta quarta

• Até 300 pontos há alto risco de inadimplência;
• Médio risco entre 300 e 700 e baixo; e
• Risco para quem acumula pontuação acima de 700 pontos.

Quanto mais alto o score, maiores são as chances de o cidadão honrar compromissos financeiros nos próximos 12 meses e ter acesso facilitado ao mercado de crédito.

O que faz o score diminuir ou aumentar?

O sistema da Serasa avalia todos os hábitos do consumidor. Lucas Lopes, diretor de produtos da companhia, cita algumas práticas que podem reduzir a pontuação do score.

  •   Contrair uma dívida;
    • Ter o nome negativado;
    • Atrasar pagamento do cartão de crédito ou empréstimo pessoal;
    • Pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito;
    • Usar o limite do cheque especial com frequência; e
    • Buscar crédito constantemente.

>>Senado aprova lei de incentivo ao primeiro emprego

Veja mais