Simões Filho participa de Consórcio Nacional para compra de vacinas

Simões Filho participa de Consórcio Nacional para compra de vacinas
Simões Filho participa de Consórcio Nacional para compra de vacinas. Foto: Ascom/PMSF

Simões Filho participa de Consórcio Nacional para compra de vacinas

A Frente Nacional de Prefeitos criou, nesta segunda-feira (22/03) um consórcio nacional para a aquisição de vacinas contra a covid-19. O grupo, que ganhou o nome “Conectar”, foi instituído por meio de uma assembleia virtual.

O objetivo é reunir diversas prefeituras para negociar a aquisição de lotes de vacinas contra a covid-19 no mercado internacional e insumos utilizados no atendimento de pacientes infectados com o novo coronavírus. Com a criação hoje, o consórcio vai iniciar as tratativas com farmacêuticas e empresas fornecedoras de insumos.

>>Idosos de 68+, quilombolas e pacientes renais começam a ser vacinados em Simões Filho

Até o momento, 2.599 prefeituras manifestaram interesse na iniciativa. Entre elas, o município de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), representa pelo prefeito Dinha Tolentino. Durante o encontro virtual, o prefeito Dinha explicou a iniciativa e justificou o seu voto.

“A iniciativa parte dos prefeitos das maiores cidades brasileiras para a compra de vacinas para COVID-19. O meu voto não poderia ser diferente, a não ser o de ratificar a intenção da compra da vacina para nossa gente. Com vacina e prevenção, vamos vencer o coronavírus”, pontuou o gestor público.

>>Cresce pressão no Congresso para elevar auxílio emergencial a R$ 600

A legislação brasileira exige que os municípios aprovem uma lei específica sobre o tema. Até o momento, 1.731 cidades formalizaram a norma municipal. No caso de Simões Filho, além de o gestor municipal preencher o cadastro de intenção de compra, no dia 16.03, a Câmara de Vereadores, aprovou o Projeto de Lei nº 008/2021, enviado pelo prefeito, que possibilitou a participação do município no Consórcio Público.

“A iniciativa se propõe intensificar e acelerar a imunização da população. Para mim, esse é um dos piores momentos já enfrentados pela humanidade e seguiremos unindo forças, e fazendo o que sabemos fazer de melhor, cuidar da nossa gente”, concluiu Dinha.

>>Vacina de Oxford tem 79% de eficácia contra casos sintomáticos de Covid-19

Veja mais