14° salário de aposentados e pensionistas: valor e data de pagamento

14° salário de aposentados e pensionistas: valor e data de pagamento

Os aposentados e pensionistas do Instituto nacional de Seguro Social (INSS) estão otimistas para receber o 14° salário em 2022.

Essa esperança é confirmada pelos PL4367/20 e PL3.657/20. Ambos PLs estabelecem o pagamento do 14° salário aos segurados do INSS.

Contudo, diante da repercussão do caso, muitos beneficiários estão com dúvidas sobre quem terá direito ao pagamento do 14° salário e quando o dinheiro será pago, se este for aprovado?

O que se sabe até o momento é que três comissões já aprovaram incialmente o projeto e R$ 80 bilhões foram liberados no texto até agora aprovado.

Para viabilizar o pagamento do dinheiro aos beneficiários, o projeto prevê a ampliação temporária de impostos sobre os setores bancários e de combustíveis entre 2022 e 2023, o que segundo o projeto, garante o pagamento do abono extra.

Quando o 14 salário será aprovado?

O projeto PL4367/20 já teve três aprovações na câmara mas ainda tem um percurso a fazer. A próxima decisão da Câmara dos Deputados será a última para a proposta seguir para o Senado.

No senado, se for aprovado, será sancionado pelo presidente da república e o pagamento é liberado pelo INSS.

Quem de fato terá direito ao 14º do INSS?

Atualmente, o INSS tem cerca de 36 milhões de segurados, mas nem todos tem direito ao benefício.

Se aprovado, a proposta vai contemplar apenas aposentados, pensionistas e pessoas que recebem auxílio acidente, auxílio reclusão e auxílio doença.

Quem recebe BPC (Benefício de Prestação Continuada) não tem direito a grana extra.

Qual será o valor do 14º salário?

Segundo o projeto, ninguém receberá mais do que R$ 2.424 reais e o pagamento mínimo é de R4 1.2012,00.

Qual será a data de pagamento do benefício?

A expectativa é de que após aprovação, o pagamento seja liberado em dezembro de 2022 e 2023. Mas isso ainda é especulação, pois é preciso esperar a decisão dos deputados e senadores.

Nota: É importante frisar que os projetos ainda tramitam no congresso nacional, e precisa de aprovação dos parlamentares. Desta forma, apesar das previsões, o dinheiro só será liberado após aprovação.